Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ser super mãe é uma treta

Ser super mãe é uma treta

21
Ago17

Detestei amamentar

Susana

Hoje deixo algumas respostas que dei para este artigo do Amãezónia, a propósito desse tema que gera tanta discussão, não raras vezes acéfala e acusadora, a amamentação. Prometo escrever sobre o assunto brevemente.

 

- Deste de mamar? Quanto tempo?

Sim. 1 mês com a Mariana e 5 meses com o Tiago.

 

- Porque é que não gostaste?

Acho que a amamentação está sobrevalorizada. Amamentar é alimentar e não tem que ser necessariamente com as nossas mamas. Com a Mariana foi tudo muito difícil, ela nasceu pequena, não sabia mamar, estava a perder peso e eu sem dar por nada. Ficava horas a tentar mamar e eu acabava por lhe enfiar um biberão cheio de leite adaptado goela abaixo. Ela ficava feliz e eu também. Com o Tiago foi tudo fácil, aposto que se eu deixasse ele ainda mamava, mas continuei sem gostar. É doloroso, (eu sei que depois melhora), as mamas andam sempre inchadas, detestava amamentar fora de casa e sentia-me presa. A única vantagem era ser grátis.

 

- A primeira vez achavas que ia ser aquela coisa mágica que muita gente "vende"? E em vez disso o que sentiste?

Nunca pensei que fosse uma coisa mágica e que o vínculo entre mães e filhos só se desse assim. Ou que fosse imprescindível para as defesas dos nossos filhos, ou que todas as coisas que nos tentam enfiar na cabeça fossem a preto e branco. Mas mãe de primeira viagem achei que era só meter a miúda na mama, ela mamava em 10 minutos, ficava satisfeita, arrotava e dormia. Foi frustrante.

 

- Sentiste culpa por não gostares de dar de mamar?

 Não. O importante é que os filhos estejam bem alimentados, a forma não é importante.

 

- Pensaste desistir? Falaste disso à pediatra? E ela?

Sim e desisti. Com a Mariana desisti ao final de 1 mês e com o Tiago aos 5 meses. Em ambas as situações tomei a decisão e depois informei os pediatras. Ambos aceitaram. Para mim as decisões são sempre dos pais, em tudo. Os pediatras podem sugerir, encaminhar, mostrar soluções, tudo menos forçar decisões. Não acredito num pediatra que atue de outra forma.

 

- Achas que há muita pressão para amamentar?

Demasiada. Chega a ser terrorismo psicológico e pode ser demolidor para quem não souber lidar com isso. Como toda a gente sabe, ser mãe é uma condição cheia de sacrifício e se tu não sacrificas as tuas mamas pelos teus filhos, não podes ser boa mãe.

Mais sobre mim

foto do autor

Instagram

Spotify

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D